Asteróide Imenso Passa Perto da Terra em Tempos de Turismo Espacial

O fenômeno recente da “superlua” fez com que muita gente perdesse a aparição de outro corpo celeste ainda mais inusitado cruzando próximo à Terra naquele mesmo instante.

Um relatório da NASA revelou que o asteróide MD8 2013, de 36 a 38 metros, passou a 15 distâncias lunares da Terra. O setor da NASA registra anualmente uma média de 1500 objetos que passam próximos à Terra anualmente desde que foi criado, em 2016.

Esse setor da NASA, chamado Departamento de Coordenação de Defesa Planetária está sempre a postos para identificar astros cadentes e, se houver proximidade com provável colisão, eliminar a ameaça. A utilização de lasers para destruir massas rochosas, o impacto cinético com outros corpos grandes e até mesmo a alteração de gravidade seriam as prováveis ferramentas usadas pela agência num desses casos.

Turismo espacial

No dia 22 de fevereiro, sexta-feira, a Virgin Galactic levou três passageiros em voo tripulado a 90 km de altitude. Internacionalmente, essa altura ainda é um pouco abaixo da linha do espaço (100 km). No entanto, para os padrões americanos, tal linha se dá aos 80 km de altura.

A nave SpaceShipTwo VSS Unity decolou de uma base de lançamentos no deserto de Mojave, na Califórnia. Um passeio tripulado suborbital deverá custar US$250.000 por pessoa.

O dia 16 de julho marcará um momento importante do primeiro lançamento com o dono da empresa tripulando a nave. Será a ocasião do 50º aniversário da missão do Apollo 11. O voo da Apollo 11 é a missão norte-americana capitaneada por Neil Armstrong, famosamente transmitida em vídeo para o mundo, em 1969.

Richard Branson, dono da Virgin Galactic, compete hoje pela hegemonia do turismo espacial com a empresa Blue Origin, do presidente da Amazon, Jeff Bezos.

Espera-se que a autoridade da NASA fique de olho em corpos estranhos que possam aparecer no contexto de um novo lançamento de turistas.