Contratempo Com Sondas Em Marte Impede Comunicação Espacial

Há um mês que não se ouvem dois satélites de pequeno porte da missão InSight, da NASA, rumo a Marte. Essa missão experimental, que vinha sendo um sucesso, tinha recebido os dois satélites, WALL-E e EVE, de aproximadamente 14 quilos.

Ambos perderam contato em período muito curto de tempo. Em 29 de dezembro, o WALL-E parou de reenviar sinais, ao passo que a EVE findou seus serviços de modo imprevisto no dia 4 de janeiro.

As possibilidades aventadas para a interferência que findou com as transmissões dizem respeito ao abastecimento dos satélites. Talvez eles tenham ficado com suas placas solares voltadas para um lado escuro ou, ainda, tiveram problemas com a duração da bateria.

Projeto inovador

WALL-E e EVE eram os primeiros satélites cúbicos no espaço, o que fazia do lançamento uma espécie de teste.

Esse tipo de satélite é cada vez mais comum. Seu diferencial, além do formato portátil de cubo é o barateamento de sua manufatura, já que são feitos com ferragens relativamente simples e econômicas. A ideia era reduzir custos de um lançamento espacial. Cada um dos satélites era, na verdade, composto por seis unidades de cubo.

O que se esperava que acontecesse era que os satélites chegassem até o planeta vermelho e monitorassem a aterrissagem da InSight. De modo secundário, poderiam ajudar na retransmissão de dados de rádio para a Terra.

Ambos, na verdade, conseguiram fazer transmissões: enquanto EVE fez medições de rádio, o WALL-E enviou com sucesso informações sobre a descida em etapas da InSight.

Com isso, apesar dos problemas presenciados, a NASA pôde concluir que existe benefício econômico em enviar os satélites cúbicos para transmitir e retransmitir dados num lançamento futuro.

Entre junho e setembro, a NASA fará novas tentativas de comunicação com ambos os satélites. O período foi escolhido por conta da maior incidência solar nesse período, aumentando as chances de contato – se o problema, de fato, for com os painéis solares.