Os Pranayamas e a Rara Arte de Respirar Direito

Pode parecer papo de maluco, mas a maioria de nós não aprendeu a respirar direito e seguirá sem saber até à velhice.

Embora a respiração seja uma coisa completamente natural, na qual sequer temos que pensar no dia a dia, há diversos ritmos e tipos de respirações desejáveis para diversas situações.

A base do cérebro humano regula as respirações de modo que não tenhamos que pensar nesse ato no dia a dia ou, ainda melhor, enquanto dormimos.

Apesar dessa “vantagem” natural, há uma série de exercícios para ganhar melhor percepção e controle da respiração e seu impacto sobre o corpo e a mente – os ipranayamas/i.

O que são pranayamas?

“Prana” é um termo sânscrito para descrever a energia vital que está em todas as coisas do universo e em eterna transformação. Os ipranayamas/i são os exercícios para melhor reter e utilizar essa energia, que vem com a respiração. São bastante incorporados à prática de yoga.

As vantagens continuadas

Diminuem o estresse, estimulam o funcionamento do sistema linfático e podem até mesmo ajudar com a perda de peso – por extensão, já que combatem a ansiedade.

Exemplo de pranayama: nadi shodhana

O primeiro passo para começar os exercícios é escolher um ambiente calmo e acolhedor. Comece a prática sem pressa, sem pressões para terminar logo. De preferência, antes ou depois das tarefas diárias e num lugar fresco e com iluminação confortável.

Nesse exercício, você inspirará pela narina esquerda, tampando a direita com o dedão direito, com a mão fazendo papel de pinça. A expiração é feita pela narina direita e o indicador tapará a esquerda.

Cada respiração completa é considerada um ciclo e você deverá repetir o ciclo pelo menos cinco vezes, prestando atenção no caminho que o ar faz percorrendo seu corpo. Fazendo isso, você perceberá as mudanças no ritmo da respiração e na sua disposição mental e física no começo e no fim do exercício.