Quatro Números Místicos para Energizar seu Cotidiano

Conheça as origens de quatro números místicos na Numerologia:

Número 1

O primeiro número inteiro (com exceção do zero) é místico em diversas culturas. No mundo judaico-cristão, é o algarismo do Senhor, um número divino. A mesma simbologia, da entidade auto-suficiente vale para o mundo islâmico também.

Na cultura chinesa, o 1 está ligado ao Yang, o princípio masculino do universo, que contrasta com o Ying. É um número auspicioso, vinculado àquilo que é celestial. O significado para Pitágoras, na Grécia antiga, é similar a esse.

Número 2

O algarismo das dualidades pode trazer em si tanto o antagonismo quanto a concórdia. Alguma estabilidade ou a ambiguidade. O sol e a lua em contraposição, o masculino em contraste com o feminino. É um número ligado ao Humano, portanto também pode ser símbolo do pecado, daquilo que se afasta da unidade do 1.

Para os chineses, é o símbolo do Ying, o princípio universal feminino. O Ying é ligado aos aspectos terrestres e ao pouco auspicioso.

Número 9

É considerado o número mais sortudo de todos e até mesmo divino, especialmente na China, por ser o maior dos número primos de um dígito. O Templo Celestial de Pequim traz em si três andares, que são uma representação dos Ceús, da Terra e da Humanidade. O andar dos Céus tem 9 anéis, cada um com 9 pedras celestiais.

Além disso, é o maior múltiplo de 3 de um dígito – e o 3 é um número divino, de harmonia, em várias culturas.

Número 11

Este é considerado o “Número Mestre” da Numerologia. O número 10 é um símbolo de completude, então o 11 é o instante seguinte à completude, um símbolo de transcendência.

Já que a soma de seus dois algarismos, 1+1, é 2, também pode ser relacionado à cooperação de um par.

De acordo com a Numerologia de Pitágoras na Grécia antiga, o número é sinônimo de intuição, iluminação e inspiração.